Marcadores

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Alê Muniz e Luciana Simões


Quem ainda não conhece Criolina ?

Eu sou fã de carteirinha do trabalho de Alê Muniz e Luciana Simões.....
Essa dupla tem história pra contar. O ritmo contagiante, a mistura do mundo pop de Alê e do reggae do mundo de Luciana resultou no Criolina, que envolve diversas batidas que nos dá o sabor da cultura legimamente maranhense!
Buena vista, beira-mar...

 Os dois trabalhos já lançados pela dupla, o CD CRIOLINA do ano de 2006, revela composições dos dois e ainda parceira com cantores maranhenses.
Um Doce, um disco afinado à fogo!

O segundo, o CD -Cine Tropical nos remete muito à nossa São Luís por conter em quase todas as letras características maranhenses, com o diferencial criativo da sétima arte!
 Músicas contagiantes  e eu não sou vacinada! Sou tiete  mesmo!


A foto está muito clara, mas ainda é a única que tenho com eles!

Você pode baixar O Santo pela internet.

Alê Muniz e Luciana Simões comigo!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Ele está chegando no Maranhão.... Carpinejar



  Peço licença ao querido Fabrício Carpinejar para divulgar nesse modesto blog sua foto. Mas é que eu não iria me perdoar se não utilizasse esse espaço que é MEU para contar pra vocês que o que eu tanto esperava vai acontecer.

  O Fabrício estará aqui em São Luís dia 18 de Novembro na Feira do Livro para para ministrar a palestra “Melhor o ciúme que a indiferença: a alegria das relações amorosas”. E como há tempos eu sonho em prestigiar o Carpinejar  assim frente a frente fica impossível perder essa oportunidade.
 Eu viajo todos os dias no blog do Fabrício Carpinejar e não fico cansada de ler suas crõnicas, elas são maravilhosas!

 Todos estão convidados a prestigiá-lo também!
 Espero vocês lá!

Jacelena Dourado

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

ORAÇÃO




"Estou aqui, pra ser amado e te amar. Olhar nos olhos e deixar-me apaixonar. Diante de te, pra me render ao seu amor e confessar minhas fraquezas, sou pecador. também estou aqui, pra pedir perdão. E pelas almas que ainda não buscam teu coração."

 DEUS, grandioso Deus,
 Já falei muita coisa nesse blog, mas não tem nada dedicado exclusivamente à você...por que será? Confesso que nem eu mesma saberia responder. Eu te amo tanto e falho tanto com o senhor... Mas Você sempre está presente no meu coração, na minha alma e na minha vida, pois és a razão dela existir...

Agradeço por tudo!
São vinte anos meu Deus.... tenho muito a agradecer e sei que mais de 20 me aguardam.
Por isso peço que continue presente em minha vida e a abençoe....

Te amo!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

O MEDO DO NOVO



 Porque será que  as pessoas encaram O NOVO com tanto receio e medo?

É aí que se encaixa o termo Xenofobia, que quer dizer medo/ aversão ao novo, ao diferente. É uma pena que muita coisa ainda seja encarada de maneira preconceituosa. É que as pessoas vêem as coisas novas e diferentes e já idealizam um conceito e uma  repreensão sem nem bem procurar conhecer de fato o que se "critica".

Cada  povo possui sua cultura e cada indivíduo sua identidade cultural. Não se pode interferir nisso e nem se deve criticar tal estilo por achar diferente e "estranho". Isso é preconceito, afinal o que é estranho para alguém, é o mais natural e comum para outro. Para que se possa criticar algo, você precisa necessariamente conhecer o objeto que se está criticando, não é mesmo? Então porque  criticar sem  entender e sem conhecer a ideologia que gira em torno desse tal "diferente" que se fala?

Saber respeitar as diferenças faz a diferença.

Se você não gosta de determinado tipo de música, é um direito seu, mas quem gosta tem o direito de gostar também. Prefiro não gostar sabendo o motivo e mesmo assim não criticando quem gosta, pois se alguém gosta gosta por motivos pessoais. Não tenho a obrigação de gostar, mas tenho o dever de respeitar quem gosta.

Ter medo do novo e ser avesso à tudo que não é comum para si, é tornar-se etnocêntrico. "


Somos todos iguais em direitos e cidadania e essa igualdade defende nossas diferenças" 

A LÍNGUA QUE NÃO CABE NA PRÓPRIA BOCA...


Tem gente que fala muito e por isso fala coisas desnecessárias.... É velho o ditado que diz que : "quem fala o que quer, ouve o que não quer".
As pessoas deixam que a língua estrapole e pronuncie o que era para ficar so na imaginação, só na cabeça e o resultado é um falatório sem controle e sem nexo.

Mas quando o caso é não ter literalmente espaço para a língua dentro da própria boca? Já imaginou?


Eu estava conversando com um amigo e obviamente ele perguntou  sobre o aparelho que estou usando. Fui contar que atrapalhava ao falar,  (ele disse: "percebi") pois a minha língua não tem espaço na minha boca. É isso mesmo, tem espaço para tudo que é ferro dentro da minha boca, acho que vou ter que cortar minha língua, porque ela está "sobrando".


Essa foi a melhor: minha língua não cabe na minha boca,  literalmente não tem mais espaço pra ela.

sábado, 2 de outubro de 2010

Aparelho ortodôntico!!!

Que desconforto!!!
Coloquei o aparelho móvel para o tratamento da DTM como havia postado abaixo...




Depois de ter ido ao consultório duas vezes e não ter conseguido colocar o aparelho, deu certo da última vez. Da primeira o aparelho não tinha ficado pronto, da segunda estava pronto, mas veio errado (que raiva!) e por fim da terceira deu certo! Colocamos o inferior e o superior...até ai tudo bem.

Ai agora vem as regrinhas: tirar para comer e beber qualquer líquido que não seja água... ficar com ele o maior tempo possível, inclusive e principalmente dormir com ele! Até aí tudo bem, eu faço o maior esforço e o impossível, pois quem sofre sou eu e eu sei "aonde o calo aperta". 

Mas quando o assunto é falar... me retiro de cena! É muito ruim, as pessoas não entendem e a gente se sente "babaca", falando que nem um "débil mental"... Todo mundo riu e todo mundo mundo vai rir, mas como eu mesma falei anteriormente, dói é em mim, então eu tenho que saber como reagir... Riam à vontade, juro que vou rir junto com todo mundo!! Rss (já to rindo).

Vou adotar papel e caneta para me comunicar na faculdade e como nem tudo pode ser 100%, às vezes tenho que tirar alguma parte (inferior ou superior), mas quando tiro a inferior consigo falar melhor, aí para trabalhar preciso falar com as pessoas as meu redor e também  ao telefone, logo sou obrigada a tirar uma parte ou todo, depende do caso... Ruím para a agilidade do tratamento, mas é um mal necessário!

Mas no fim de tudo eu acho bonitinho!!!


Riam de mim!!!